Fone: 49 . 3442 2463

Siga-nos: 
 
 

INFORMATIVOS


Atuação da Fisioterapia no tratamento de tontura postural

10/01/2017

Dores de cabeça, náuseas, desequilíbrios, fraquezas, entre outros sintomas, são comuns e possivelmente você já sentiu algumas vezes. São sinais que podem ser consequência de diversas causas. Mas você sabia que em alguns casos a Fisioterapia é que vai ajudar?

Primeiramente é importante diferenciar tontura de desequilíbrio, pois as pessoas normalmente confundem os sintomas. A tontura apresenta-se com uma falsa sensação de movimento próprio ou do ambiente. Já o desequilíbrio é quando não existe essa falsa sensação de movimento, mas você não consegue manter o equilíbrio, não consegue ficar de pé.

Quando a tontura é causada por uma sensação de movimento rotatório, ou seja, quando parece que tudo ao redor está girando, recebe o nome de vertigem, tipo mais comum de tontura. E entre as vertigens, a mais comum é a Vertigem Postural Paroxística Benigna (VPPB), causada pelo deslocamento de cristais de carbonato nos canais semicirculares do ouvido interno. Essa disfunção ocasiona uma alteração na percepção linear da cabeça no espaço. A presença destes cristais altera o fluxo normal de líquido dentro dos canais, levando a interpretações equivocadas do cérebro quando há movimento do corpo, principalmente da cabeça.

A VPPB acomete idosos, adultos e crianças e é classicamente desencadeada por movimentos específicos da cabeça, principalmente ao girar rápido, ao inclinar o corpo para frente, ao levantar da cama, ao girar na cama ou ao levantar-se, ocasionando a famosa tontura posicional. Leves traumatismos de cabeça podem ser o fator desencadeante em cerca de 15 a 20% dos pacientes. Os casos restantes são geralmente provocados por outras doenças, como otite média, cirurgias da cabeça, doença de Meniére, neurite vestibular, enxaqueca e diversas outras doenças do ouvido.

A reabilitação vestibular é o tratamento indicado para o paciente portador de vertigem (tontura) posicional e o profissional capacitado para a avaliação e tratamento é o fisioterapeuta com formação direcionada para esse tipo de reabilitação. O fisioterapeuta realizará testes específicos e posicionais, além do exame de videonistagmoscopia no paciente, para detectar o canal do ouvido interno acometido. Para o tratamento, são realizadas manobras específicas da Fisioterapia e exercícios em busca do equilíbrio e em muitos casos o tratamento é rápido.

Fonte: Fala Fisio